Assista às atrações Amazonia Live ao Vivo – Rock in Rio 2017

Vinícius Brito - 27/08/2016 11h33 Atualizada - 27/08/2016 20h37

Simbólico, o projeto Amazônia Live leva o Rock in Rio para as águas do Rio Negro, em Manaus (AM), e transforma uma das três maiores florestas tropicais do mundo em palco para o melhor da música nacional.

A festa, que ocorre na data de 27 de agosto, a partir das 19h30, será transmitida ao vivo pelo canal de televisão paga Multishow, confirma a edição 2017 do festival e divulga as primeiras informações, como a programação e atrações do evento.

A cantora Ivete Sangalo é uma das convidadas do projeto do Rock in Rio, assim como o tenor lírico Plácido Domingo e a Orquestra Amazonas Filarmônica. Em um palco flutuante, juntam-se a eles, ainda, os músicos Andreas Kisser e Saulo Laucas, que promete uma interpretação da letra “Canto della terra”.

Com o objetivo de provocar a reflexão sobre questões socioambientais, a baiana Ivete Sangalo fará um show aberto ao público em Manaus, paralelamente, na mesma data. O dia 27 de agosto marca a contagem regressiva para o Rock in Rio, festival que volta à cidade do Rio de Janeiro nos dias 05, 16, 17, 21, 22, 23 e 24 de setembro de 2017.

Para assistir às apresentações sob o Rio Negro, os assinantes do Multishow podem ver através da televisão ou, na internet, pelo Multishow Play. A exibição ao vivo também está disponível no site: http://www.amazonialive.com.br/

Saiba mais sobre o lineup da edição 2017 do Rock in Rio

“Mais do que Árvores”

Com a meta de replantar 3 milhões de plantas e sob o lema “Mais do que Árvores, Vamos Plantar Esperança”, o projeto Amazônia Live deve ser uma constante do RiR em todas as edições da festa até 2019.

Mas como funciona? Segundo informa a direção do evento, a ideia é reverter parte da venda dos ingressos e do lucro dos patrocínios no plantio das árvores ao longo do Rio Xingu, que atravessa a floresta amazônica, na Região Norte do país. Para saber como doar, acesse o site www.amazonialive.com.br.

A mensagem que o Rock in Rio quer deixar para o público vai na contramão do que a Rede Amazônica de Informação Socioambiental Georreferenciada (Raisg) tem revelado. O órgão contabiliza um aumento de desmatamento na Amazônia, que perdeu 18% das árvores nativas nos últimos 36 anos. Em quilômetros, o país deixou de ter até o ano de 2013 mais de 620 km quadrados de florestas..

Informar erro ou desatualização

Não encontrou o que queria ou identificou erros?

Comentários