Rock in Rio 2017 homenageia África na Rock Street

Juliana Monteiro - 31/03/2017 22h15 Atualizada - 02/04/2017 14h08

Após já ter homenageado o jazz e o blues norte-americanos, em 2011, o rock inglês, em 2013, e a diversidade musical do Brasil em 2015, a Rock Street do Rock in Rio 2017, que acontecerá em setembro, no Rio de Janeiro, homenageará a África.

As ruas da Cidade Olímpica, onde ocorrerá o festival, serão tomadas pela representatividade dos vinte países do continente africano. Segundo Roberta Medina, vice-presidente do Rock in Rio, a ideia é disseminar as influências encontradas na música africana sobre os outros ritmos musicais, como o jazz, o rap, o reggae e o próprio rock.

Durante os dois finais de semana em que vai acontecer o RiR, a Rock Street contará com diversas atrações da música africana, entre elas: a banda Ba Cissoko, da Guiné, o grupo Les Tambours de Brazza, do Congo, e a cantora Mamani Keïta, do Mali.

Toy Lima é o curador artístico da Rock Street, em parceria com Marisa Menezes, diretora artística que está à frente da programação. Toy destacou a importância da Diáspora Africana para a música contemporânea e celebrou que o Rock in Rio tenha aberto esse espaço para os artistas do continente africano.

Programação da Rock Street no Rock in Rio 2017:

15, 16 e 17 de setembro

– Les Tambours de Brazza
– Freddy Massamba
– Tyous Gnaoua

21, 22, 23 e 24 de setembro

– Ba Cissoko
– Mamani Keïta
– Alfred et Bernard

[+] Veja a programação completa do Rock in Rio 2017

Abaixo, confira o clipe da música “N’Fasso”, de Ba Cissoko, uma das atrações da Rock Street no Rock in Rio 2017:

Informar erro ou desatualização

Não encontrou o que queria ou identificou erros?

Comentários