Pontos Turísticos Campo Grande – Turismo MS – Mato Grosso do Sul

Lucyanna Melo - 08/03/2016 Atualizada - 20/09/2016 16h39

Dono de um dos maiores parques urbanos do mundo, o estado do Mato Grosso do Sul – e sua capital planejada e arborizada, Campo Grande – é um mix de culturas, desde as tribos indígenas, passando pelo país vizinho, Paraguai, até chegar à imigração dos japoneses, no século XX.

Repleto de atrativos naturais, o estado oferece aos visitantes cachoeiras e águas cristalinas, em Bonito, a beleza do Pantanal, entre outras maravilhas.

Com tantas opções dentro e fora da capital, a saída é se programar para uma visita a maior quantidade de lugares possível. Então, vale a pena conferir os pontos turísticos do selecionados pelo Confira Mais e que não podem ficar de fora do seu roteiro.

Feira Central

Feira Central, em Campo Grande - Mato Grosso do Sul. (Foto: Thiago Costa)

Feira Central, em Campo Grande – Mato Grosso do Sul. (Foto: Thiago Costa)

Um dos pontos turísticos mais visitados da capital, Campo Grande. Influenciada pela cultura oriental japonesa, por contada imigração no início do século XX, mistura as duas culturas, a regional brasileira e a oriental. A Feira Central tem como destaque a gastronomia, que é um mix de culturas, com o sobá, yakisoba e espetinhos com a mandioca amarela da terra. Outras opções são o artesanato e o comércio de lojas típicos, além da programação estabelecida pela Feira, com shows e eventos itinerantes.
Mais informações: http://feiracentralcg.com.br/

Parque das Nações Indígenas

Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. (Foto: Alexanderps)

Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. (Foto: Alexanderps)

Ponto de encontro dos moradores da capital Sul Mato Grossense, para apreciar o pôr do sol, o Parque das Nações Indígenas é considerado um dos maiores parques, dentro do perímetro urbano, do mundo. Além dessa beleza a ser apreciada no final do dia, o parque oferece diversas opções para o lazer e a prática de esportes, com pistas de cooper e de skate, gramados, quadras, lago, palco e teatro para eventos e shows, e restaurante. O parque abriga também o Museu de Arte Contemporânea, que oferece constantemente exposições. Ainda na área, o visitante não pode deixar de visitar o Memorial dos Povos Indígenas, onde há uma comunidade de índios terena e venda de artesanato.

Miranda

Trem do Pantanal, em Miranda-MS. (Foto: Serra Verde Express)

Trem do Pantanal, em Miranda-MS. (Foto: Serra Verde Express)

Rebanhos de gado, revoadas de araras-azuis e a vegetação típica do cerrado, já impressionam o visitante no caminho para a cidade, que fica a 198 quilômetros da capital Campo Grande. Além do ecoturismo, Miranda chama atenção por conta da arquitetura preservada desde o século XX. Os guias e agências turísticas locais oferecem atividades para observar os animais pantaneiros. Entre elas estão cavalgadas, trilhas, safáris fotográficos e focagem noturna de jacarés. Vale lembrar que o turismo de Miranda é voltado ao pantanal, então é bom ficar atento aos períodos de cheias e estiagens.

A maneira mais interessante de chegar em Miranda é embarcando no Trem do Pantanal, que está temporariamente suspenso. Da janela do trem é possível conferir as belezas do cerrado, sua fauna e flora típicas; a viagem no trem possui uma parada no município de Aquidauana, onde os visitantes podem aproveitar com cavalgadas e passeios de barco.

Corumbá

Corumbá fica às margens do rio Paraguai, sendo inevitável para aqueles que curtem uma pescaria. A cidade que fica a 441km da capital Campo Grande, é ponto de partida para um dos mais belos passeios da região: o que atravessa a Estrada-Parque do Pantanal. São 120km de terra e 87 pontes de madeira, em um verdadeiro zoológico a céu aberto – durante o trajeto, observa-se de a rica fauna e flora do ecossistema que é o pantanal. Por ter um turismo pantaneiro, a melhor época para aproveitar as belezas do local, é entre maio e setembro, período de estiagem. E para quem gosta de história, na área do porto da cidade as atrações centrais são os museus e fortes; o casario colonial do século 19 foi restaurado e tombado pelo Iphan; há também o Museu de História do Pantanal, que exibe a região através de fotos, maquetes, painéis e recursos audiovisuais. Já os fortes guardam muitas histórias, além de oferecerem belas vistas panorâmicas. A cidade também é rica em restaurantes que oferecem a gastronomia típica do pantanal, baseada em peixes, além de casas de artesanato.
Mais informações: http://www.corumba.com.br/

Buraco das Araras

Buraco das Araras, localizado no município de Jardim, no Mato Grosso do Sul. (Foto: Maurício Ximenez)

Buraco das Araras, localizado no município de Jardim, no Mato Grosso do Sul. (Foto: Maurício Ximenez)

A revoada das araras é de uma exuberante beleza, com o show de cores e sons. O buraco é uma formação geológica resultante do desmoronamento de blocos rochosos criando uma enorme cavidade: são 500 metros de circunferência e 100 metros de profundidade. No fundo do buraco, uma lagoa de água esverdeada, rodeada por mata exuberante nativa, o local abriga jacarés cuja sobrevivência permanece um mistério.

Buraco das Araras - MS (Foto: Gustavo Siqueira)

Buraco das Araras – MS (Foto: Gustavo Siqueira)

Além deles e das araras, a fauna do local, assim como a flora, é bem diversificada. O Buraco das Araras, atualmente, é apenas para visitação e observação; a chegada ao local se dá por uma trilha guiada. A prática de esportes, como o rapel, foi proibida pela fiscalização que visa a preservação da vida e do ambiente natural.
Mais informações: http://www.buracodasararas.tur.br/pt/

Bonito

Gruta do Lago Azul, em Bonito - Mato Grosso do Sul. (Foto: Caio Vilela)

Gruta do Lago Azul, em Bonito – Mato Grosso do Sul. (Foto: Caio Vilela)

Com toda certeza, Bonito é a principal atração do Mato Grosso do Sul, pois é um complexo de ecoturismo, com cachoeiras, serras, grutas, lagoas e muitas belezas naturais. A gruta da Lagoa Azul com suas cachoeiras e rios com águas transparentes e cristalinas, repletas de peixes coloridos, ganharam na década de 90 a fama de Disney Ecológica. Área de preservação ambiental, todos os passeios e trilhas são feitos com guias locais especializados, além de alguns esportes serem proibidos por conta da preservação de espécies tanto de fauna como de flora.

Rio Sucuri, em Bonito-MS.  (Foto: Matheusfo)

Rio Sucuri, em Bonito-MS. (Foto: Matheusfo)

Os aventureiros procuram Bonito por conta dos esportes radicais, como o rapel, rafting e atividades envolvendo o arvorismo. Além da adrenalina, Bonito oferece descanso e tranquilidade; passeios a santuários, cavalgadas, passeios de bicicleta e uma espécie de mergulho livre, a flutuação que é equipada com máscara, snorkel, roupas e botas de neoprene. Daí basta soltar o corpo que a correnteza e a natureza se encarregam do resto: apresentar as magníficas e coloridas flora e fauna dos rios.

Como em Bonito a lista de atividades e lugares para visitar é imensa, apesar de tudo ser de uma beleza inexplicável, o tempo pode ser um inimigo do passeio. Sendo assim, aqui vai uma lista dos lugares a mais, além dos principais, a visitar: Abismo Anhumas, Lagoa Misteriosa, Parque Ecológico Rio Formoso, Balneário Municipal e Parque das Cachoeiras.

Assinatura Colunista Lucyanna

Informar erro ou desatualização

Não encontrou o que queria ou identificou erros?

Comentários

Eventos em Destaque

  • Nacional
  • Campo Grande e Interior de MS

Parceiros nacionais